SAC SAC Deficiente Auditivo ou de Fala contato para deficientes Auditivos
10/09/2018

Ibovespa sobe amparado por clima ameno no exterior e busca 77 mil pontos

04/09/2018

Reforma política coloca o benefício da previdência em pauta

04/09/2018

Segundo estudo, apenas 19% dos Brasileiros tem seguro de vida. Especialista dá dicas e ensina corretores de todo Brasil a escalarem seus negócios

04/09/2018

Poupança ainda é o investimento preferido do brasileiro

04/09/2018

Como o envelhecimento mudou nos últimos 20 anos

04/09/2018

Rombo da Previdência é de R$ 35 milhões e o déficit mensal do Paço atinge R$ 20 mi?

04/09/2018

Sindseg faz palestra para empresários e o mercado de seguros em Marabá (PA)

04/09/2018

Pedrinhas em Seguros (RS) promovem encontro no Acampamento Farroupilha

29/08/2018

Transformação digital nos seguros: o suco de laranja e a redescoberta do risco

29/08/2018

Mitos e Verdades da Previdência

29/08/2018

Seguro ambiental obrigatório aprovado pela nova lei será um diferencial estratégico para as empresas

29/08/2018

Apenas 18% dos brasileiros pouparam em junho, diz indicador da CNDL

29/08/2018

Prospecção inteligente de clientes é tema de palestra em Ipatinga

29/08/2018

Os que se dão bem na vida!

29/08/2018

Candidatos são arrojados com suas finanças

24/08/2018

Confira os investimentos que podem ajudar você a ter uma aposentadoria tranquila

24/08/2018

Por que o brasileiro não pensa em aposentadoria; e como investir para chegar lá

24/08/2018

Projeto permite que corretores de seguros atuem em licitações públicas

24/08/2018

5 sinais de que o mercado de ICO voltará a crescer

24/08/2018

Corretores de seguros devem estar atentos ao e-Social

24/08/2018

Mapear os hábitos dos consumidores pode alavancar o setor de seguros

24/08/2018

Edmardo Galli destaca a importância de inovar durante a “Seguros Del Futuro LATAM 2018”

22/08/2018

Que aposentadoria escolher

22/08/2018

Setor cresce 1,7% no primeiro semestre

22/08/2018

Corretores e seguradoras terão novas regras para guarda de documentos

22/08/2018

Inteligência artificial promete ajudar Seguradora Líder a reduzir fraudes no DPVAT

22/08/2018

Com crise, seguros empresariais ganham popularidade

22/08/2018

Parcerias entre startups e seguradoras vão ganhar força

22/08/2018

Amazon considera lançar site de comparação de seguros no Reino Unido

20/08/2018

Previdência: um dia você vai precisar dela

20/08/2018

De cada R$ 3 previstos no orçamento da União, R$ 1 será para rolar a dívida

20/08/2018

Faça as contas: ao aposentar, só se dá bem quem planeja

20/08/2018

Faça as contas: ao aposentar, só se dá bem quem planeja

20/08/2018

Princípios do seguro e temas polêmicos do STJ foi tema de evento da ANSP

20/08/2018

STJ confirma ilicitude em atuação de associação no mercado de seguros

20/08/2018

Mercado financeiro mantém previsões para inflação e PIB neste ano

20/08/2018

Ouro fecha em alta, apoiado por câmbio e pela demanda da Ásia

16/08/2018

União Seguradora é parceira da CIEPIBRAS

16/08/2018

União realiza treinamento para a CredCorreios

16/08/2018

Destaques do Mercado de Seguros de Vida e Benefícios

16/08/2018

Susep publica esclarecimento sobre cláusula 'anticorrupção' em seguro garantia...

16/08/2018

Tendências em seguros de linhas financeiras

16/08/2018

Assessoria em seguros nacionais dos EUA AAIS apresenta ferramenta de relatórios baseada no blockchain da IBM

16/08/2018

Susep já indeferiu mais de 11 mil pedidos de recadastramento

13/08/2018

Gestão da arrecadação tributária na Receita Municipal de Porto Alegre é destaque em evento na capital

13/08/2018

As novas gerações têm os pés no chão!

13/08/2018

Previdência privada é uma excelente opção para garantir melhor qualidade de vida no futuro

13/08/2018

É preciso construir o hábito de poupar para a aposentadoria

13/08/2018

Velhice: metade dos brasileiros só conta com o INSS

13/08/2018

Atuação de associação no mercado de seguros é ilícita conforme decisão do STJ

13/08/2018

Ouro fecha abaixo de US$ 1.200 pela 1ª vez desde janeiro em meio ao dólar forte

08/08/2018

GDPR provoca revolução na proteção de dados

08/08/2018

O que Saber Antes de Contratar um Seguro de Vida?

08/08/2018

Porto Alegre: Criação da Previdência Complementar é aprovada pelo plenário

08/08/2018

Pais contribuem R$ 231 por mês em previdência para crianças e adolescentes

06/08/2018

Procura por previdência privada em Minas tem alta de 11%

06/08/2018

Herança: quem tem direito de ficar com o valor da previdência privada?

06/08/2018

A grande mudança para um seguro mais honesto e mais justo

06/08/2018

Previsões econômicas e instabilidade política preocupam setor de seguros

06/08/2018

Teve um acidente? Já pode contactar a Liberty Seguros por WhatsApp

06/08/2018

Gerenciamento de riscos e seguros na Indústria Química

06/08/2018

O mercado vai se transformar em 15 anos, mas o corretor se manterá relevante

30/07/2018

Brasileiros ainda têm o hábito de guardar dinheiro em casa

30/07/2018

Quatro medidas para sua empresa se adequar à Lei Geral de Proteção de Dados

30/07/2018

Seguradora Líder e o compromisso com a transparência

30/07/2018

Seguros funeral, viagem e prestamista se destacam

30/07/2018

Joaquim Mendanha aposta na inovação e nas relações pessoais

30/07/2018

Mercado financeiro mantém projeção de inflação para 2018 em 4,11%

30/07/2018

IGP-M recua em julho, mas acumula alta de 8,24% em 12 meses, revela

26/07/2018

Estabilidade e complemento de renda na aposentadoria

26/07/2018

Líder mundial no setor de seguros escolhe Namirial como o novo padrão para Digital Transaction Management.

26/07/2018

Seguradoras apostam em ações com o auxílio do WhatsApp

26/07/2018

A Transformação Digital e os Seguros

26/07/2018

Corretoras e seguradoras precisam estar atentas à transformação digital

26/07/2018

São Paulo receberá maior encontro de inovação em seguros da América Latina

26/07/2018

Pernambuco terá população com 25% de idosos até 2060

23/07/2018

Consulta ao INSS, agora, só com hora marcada ou via internet

23/07/2018

Em 18 anos, poupança para os filhos pode passar dos R$ 185 mil

23/07/2018

Investimento na previdência privada cresce 144% nos últimos 6 anos

23/07/2018

Conheça as funções do planejador financeiro no Brasil

23/07/2018

Preço médio da gasolina nas refinarias cai 0,94%, para R$ 1,9426

23/07/2018

Juros futuros se ajustam em alta em sintonia com dólar

23/07/2018

Dólar se ajusta em alta com comércio global e política no radar

20/07/2018

Sincor-Rs e Sulamérica promovem encontro em Porto Alegre

20/07/2018

As principais seguradoras se lançam para subscrever riscos no espaço cripto

20/07/2018

A APOSENTADORIA VAI GARANTIR O MESMO PADRÃO DE VIDA QUE TENHO HOJE?

20/07/2018

Em vez de aplicar, 25% dos poupadores guardam dinheiro na própria casa

20/07/2018

Anasps mostra explosão dos planos de previdência com 13,3 milhões de participantes o sonho do INSS está virando pesadelo

20/07/2018

Susep multa em R$ 3 milhões associação de proteção veicular

20/07/2018

Susep não dá folga para as seguradoras piratas

18/07/2018

Você é o Melhor Amigo do Seu Dinheiro?

18/07/2018

3 tecnologias que estão revolucionando os seguros de vida

18/07/2018

Previdência Privada Vale a Pena?

18/07/2018

Seguro DPVAT: integração com sistema dos Correios reduzirá em 9 dias a regulação de sinistros

18/07/2018

Seguradoras avançam no futebol brasileiro

18/07/2018

Decisões do STJ sinalizam a forma de cálculo dos benefícios de previdência privada

18/07/2018

Implementação da IFRS 17: Novos materiais de suporte sobre Contratos de Seguros já estão disponíveis

16/07/2018

Segmento dos planos de previdência de associações deve dobrar em 2019

16/07/2018

Previdência: o empresário e a aposentadoria pelo INSS

16/07/2018

Presidente da SOMPO apresenta perspectivas para o futuro do mercado de seguros durante Brasesul 2018

16/07/2018

Princípios do seguro e temas polêmicos no STJ em debate da ANSP

16/07/2018

Dólar tem leves variações sobre o real com foco em cena externa a política

16/07/2018

IGP-10 sobe 0,93% em julho ante alta de 1,86% em junho, aponta FGV

16/07/2018

Incerteza marcará bolsa no segundo semestre

13/07/2018

União Seguradora está no VI SEMAAT

13/07/2018

Especialista explica porque os brasileiros não têm o hábito de poupar dinheiro

13/07/2018

Novas regras nos seguros vão ser positivas para os consumidores

13/07/2018

Seguro Prestamista teve crescimento de 25,1% nos cinco primeiros meses de 2018

13/07/2018

Presidente do Sindseg-RS esclarece questões apontadas pela CPI no RS

13/07/2018

Indústria de materiais de construção tem queda de 4,7% nas vendas de junho

08/10/2018

Investidores devem ser conservadores com dinheiro nos próximos 180 dias


Recomendação de planejadores financeiros e especialistas em finanças é manter as economias em investimentos seguros e que possam ser resgatados a qualquer momento.
São Paulo - A incerteza política que traz risco aos investimentos deve se estender por um prazo maior do que o da disputa eleitoral. O período tende a chegar a 180 dias, que compreendem a transição e os cem primeiros dias do novo governo, quando o mercado financeiro oferece uma trégua para que o eleito comece a trabalhar promessas de campanha.
Nos próximo meses, portanto, a recomendação de planejadores financeiros e especialistas em finanças é manter as economias em investimentos seguros e que possam ser resgatados a qualquer momento.

A volatilidade do mercado financeiro, que pode levar a perdas em investimentos mais arriscados, vem das dificuldades que economistas anteveem ao País caso não sejam aprovadas as reformas que consideram necessárias para o equilíbrio das contas públicas e a retomada do crescimento.

Por isso, a grande ambição do mercado financeiro com esta eleição é encontrar políticos dispostos a continuar reformas iniciadas pelo governo Michel Temer, parte delas interrompida porque o presidente gastou seu capital político para barrar investigações contra ele no Congresso.

Passou a reforma trabalhista, mas a da Previdência travou no Congresso. O mercado conta ainda com as reformas tributária e política.

"Continua urgente a necessidade de se fazer reformas da Previdência, política e fiscal. Tem muita coisa na agenda", diz Cesar Caselani, professor de finanças da Eaesp/FGV (Escola de Administração de Empresas de São Paulo).

O analista-chefe da XP Investimentos, Karel Luketic, diz que inicialmente investidores devem observar como será a formação da equipe econômica, a negociação de apoio no Congresso e os temas que serão pautados.
"Passada a eleição, o primeiro movimento do mercado é dar o benefício da dúvida", afirma Luketic.

DISPARADA
Na semana passada, as principais casas de investimento passaram a atualizar suas estimativas para o mercado após a corrida eleitoral, projetando espaço para a Bolsa brasileira encostar em 95 mil pontos em caso de vitória de Jair Bolsonaro (PSL).

O patamar representaria uma alta de cerca de 20% do atual nível do Ibovespa. Na sexta-feira (5), o principal índice acionário do País terminou a 82.321 pontos, retomando níveis que não eram vistos desde maio.

A alta foi impulsionada pela disparada de ações de empresas estatais, que se beneficiaram de uma visão otimista do mercado financeiro com os sinais de comprometimento do capitão reformado com propostas econômicas de viés liberal.

Luis Stuhlberger, um dos mais respeitados investidores do País por sua gestão do Fundo Verde, elevou as aplicações em Bolsa no mês passado e afirmou, em relatório a clientes, que as altas recentes da Bolsa indicam que o excesso de pessimismo já desapareceu do mercado.

"Daqui por diante desenvolvimentos otimistas nos preços de ativos precisam de uma confluência de cenário externo mais positivo e resolução da eleição de fato, com sinalizações positivas em termos de equipe e execução de uma boa agenda fiscal e de reformas", escreveu Stuhlberger.

Em relatório, a XP recomendou aplicações de curto prazo em ações de empresas que poderiam se beneficiar com a vitória do deputado, entre elas Cemig, Petrobras e Banco do Brasil, apesar de estimar volatilidade para o mercado. Especialistas alertam, porém, que empresas públicas têm suas vulnerabilidades.

"A sucessão em qualquer companhia preocupa investidores. Todo período de transição de gestão é turbulento. Em estatais isso se amplifica, porque há o risco de descontinuidade. A probabilidade de rupturas extremas pode levar estatais para rumos muito diferentes do que os analistas imaginaram em suas contas iniciais", diz Giacomo Diniz, professor de finanças do Ibmec/SP.
Apesar das projeções otimistas para o mercado em geral, especialistas desaconselham que investidores entrem em aplicações arriscadas neste momento.

"Euforia de curto prazo não resolve a vida de ninguém. São precisos vários meses para se falar em tendência de mercado", afirma Caselani, da FGV.
Ele lembra que a expectativa é que a taxa Selic, atualmente na mínima histórica de 6,5% ao ano, volte a subir ainda já em 2018. Por isso, a melhor estratégia é manter investimentos pós-fixados, que seguem a taxa de juros, como o Tesouro Selic.

Assim, o investidor consegue se beneficiar da alta dos juros. Títulos prefixados, por outro lado, além de não capturarem a alta nos juros, sofrem com oscilações de mercado no curto prazo.

Juliana Inhasz, professora de economia do Insper, faz a mesma sugestão. "Não é uma recomendação arrojada porque o ambiente pede cautela. É uma saída muito conservadora para que a gente guarde onde tem mais segurança e liquidez maior", diz.

Manter aplicações em investimentos que possam ser resgatados a qualquer momento facilita também a mudança de posição quando o cenário doméstico estiver mais claro.

Assim o pequeno investidor terá mais condições de buscar opções de investimentos mais arriscadas na hora que for mais apropriada.

"Quem tem dinheiro na poupança fica na poupança. Uma opção é título público pós-fixado e com liquidez para poder se movimentar", diz José Luiz Masini, planejador financeiro pela Planejar (Associação Brasileira de Planejadores Financeiros).

Há ainda a preocupação de analistas com o cenário externo, que não deve sair do radar de investidores mesmo em períodos em que as atenções acabam centradas em temas domésticos.

Enquanto o mercado local se beneficiava de uma euforia pré-eleitoral na reta final, o exterior balançava com uma alta repentina nos juros de longo prazo da dívida americana.
As Treasuries (títulos de dívida dos Estados Unidos) saltaram para acima de 3,20% na sexta, de volta aos níveis de 2011.

A escalada das taxas na semana foi impulsionada por dados econômicos fortes nos EUA. O mercado de trabalho americano vive um momento próximo ao pleno emprego, o que acende o alerta para pressões inflacionárias e um aperto mais intenso na política monetária do país.

A disparada das Treasuries derrubou as Bolsas americanas e fez investidores estrangeiros passarem a prever altas adicionais na taxa de juros pelo Fed (Federal Reserve, o banco central dos EUA), que hoje está no intervalo de 2% a 2,25%.

Alta nos juros americanos tende a reduzir a entrada de investidores estrangeiros, que escolhem a dívida americana, considerada mais segura, em vez de aplicações em países emergentes, vistos como mais arriscados.
"Não só fatores internos vão fazer diferença nesses próximos meses. Quando o mercado financeiro der uma trégua para nosso próximo presidente, os fatores externos vão trazer impacto no mercado doméstico", diz Masini.

"São fatores que não são controláveis. Estamos a reboque da guerra comercial e do aumento dos juros nos Estados Unidos."
logotipo zepol